Suas mãos vivem descamando?

Confira a coluna sobre doenças de pele onde o Dr. Marcelo Brollo escreveu a matéria “Suas mãos estão descamando. O que pode ser?” para o site Dermatologia e Saúde,  do qual  é um dos colunistas.

O Dermatologia e Saúde foi criado com o objetivo de levar informações de qualidade, em linguagem acessível, a respeito da saúde da pele para os pacientes.

Veja mais:   Suas mãos estão descamando. O que pode ser?

 

Leia mais

Importância do Check-up Dermatológico para atletas

A pele é o maior órgão do nosso corpo e precisa de atenção e cuidados.

Os impactos sofridos durante a atividade física, tanto profissional, quanto amadora, favorecem o aparecimento ou agravamento de lesões, que podem ser infecciosas, traumáticas ou graves, como o câncer de pele. Por isso o check-up dermatológico é tão importante.

Veja a reportagem do Dr. Marcelo Brollo  sobre a importância do check-up dermatológico para atletas amadores e profissionais:

http://www.chrisararipe.com/single-post/2017/07/06/Sa%C3%BAde-no-esporte

Leia mais

Entenda um pouco mais sobre os tipos de cicatrizes e sua causa.

Cicatrizes ocorrem 100% das vezes após um cirurgia. As vezes são finas e discretas. Outras vezes são inestéticas, podendo ser largas, deprimidas, avermelhadas, mais escuras ou mais claras que a pele normal.

As deprimidas ocorrem pela pouca produção de colágeno durante o processo de cicatrização. São chamadas de cicatrizes atróficas.

foto-1-cicatriz-deprimida-funda-corte-atrofica

Cicatrizes avermelhadas surgem pela presença excessiva de vasos sanguíneos. Costumam melhorar espontaneamente, mas este processo pode demorar, o que faz os pacientes procurarem tratamento.

Cicatrizes escuras ou claras ocorrem pelo excesso ou pela pouca produção de melanina, um pigmento produzido por células da epiderme , que confere a cor da pele.

As mais temidas são as cicatrizes elevadas. Ao contrário das cicatrizes deprimidas, estas cicatrizes surgem pela produção exagerada de fibras colágenas durante o processo de cicatrização. Por isso são volumosas.

Se dividem em 2 tipos:

-Cicatriz Hipertrófica – a cicatriz acompanha o trajeto da ferida cirúrgica. Comum após colocação de próteses de silicone ou após qualquer cirurgia.

foto-2-cicatriz-hipertrofica-cirurgia-tireoide

-Cicatriz Queloide – a cicatriz não respeita o trajeto da ferida, podendo ter qualquer formato. Comuns nos lobos da orelha e no colo.

foto-3-cicatriz-queloide-brinco-orelha

As cicatrizes inestéticas ocorrem devido a várias causas:

– Fator genético:  existem pessoas que têm uma tendência maior a formar cicatrizes inestéticas. Por exemplo, pacientes de pele negra tem maior tendência formar queloides e cicatrizes escuras

– Tipo de trauma: Traumas menores e superficiais tem menor chance de gerar queloides ou outras cicatrizes inestéticas.

– Cuidados com a ferida: feridas que demoram a cicatrizar, seja por infecção, hematoma ou alergia, são mais propícias a gerar queloides. Assim como o sol, o calor e o atrito também provocam cicatrizes inestéticas. Portando o cuidado com a ferida é fundamental.

– Localização do trauma: A região peitoral, os ombros, as orelhas, os joelhos e os cotovelos são áreas mais comuns para formação de cicatrizes hipertróficas e queloides. Já em outras áreas como a face ,coxas e glúteos, as feridas raramente provocam queloides.

Isso responde uma dúvida comum dos pacientes que me procuram.  Pois mesmo que o paciente tenha tendência natural a formar queloides,  não significa que ele esteja proibido de realizar tratamentos estéticos na face por exemplo, uma vez que raramente ocorrem queloides nesse local.

As cicatrizes podem ser tratadas ou evitadas com o tratamento correto. No próximo texto falarei um pouca mais sobre o assunto.

Leia mais