Câncer de Pele

 Câncer de pele
Câncer de pele é a multiplicação descontrolada de células da pele, e que ocorre após uma mutação no seu DNA. Essa mutação pode ocorrer por diversas razões, mas as causas principais são a predisposição genética e a exposição solar exagerada.

Há diversos tipos de células na pele. Sendo assim, cada uma dessas “espécies” de célula pode desenvolver um tipo diferente de câncer.

É muito importante identificar o tipo de câncer de pele, pois sabemos que, de uma maneira geral, os melanomas possuem comportamento mais agressivo e podem matar rapidamente. Este tipo é tão diferente dos demais que chamamos os outros tipos de câncer de Cânceres de Pele Não Melanoma. Os 2 principais não melanomas são o Carcinoma Basocelular e o Carcinoma Espinocelular.

Você sabia que o câncer de pele é o câncer mais comum do mundo?

Mais de 30% dos cânceres que ocorrem no ser humano são de câncer de pele. Mas, felizmente, quando o câncer de pele é identificado e tratado rapidamente, a cura ocorre com frequência.

Quem tem câncer de pele?

Pais e mães, fiquem tranquilos. Cânceres de pele são raros em crianças. Mas não devemos deixar de prestar atenção, sobretudo se a criança tem múltiplas pintas.

De modo geral, tumores de pele ocorrem mais em pacientes de pele clara, mas também ocorrem em indivíduos negros. Bob Marley, astro do reggae mundial, morreu de melanoma no dedão do pé, por exemplo.

Os carcinomas basocelular e espinocelular ocorrem mais em idosos com história de exposição solar contínua ao longo da vida. Surgem geralmente nas áreas mais expostas.

O melanoma é um tumor que ocorre em pacientes mais jovens (50% das vezes ocorre em pessoas com menos de 55 anos). A exposição solar intermitente e intensa – como naquelas férias em que todos voltam pra casa cheio de queimaduras, descascando e cheios de bolhas – é grande fator de risco para o surgimento de melanoma na idade adulta.

No entanto, o melanoma também pode ocorrer frequentemente em áreas protegidas pela roupa, o que comprova que a exposição solar não é o único fator de risco importante. A história familiar e a quantidade de sinais no corpo são fatores igualmente expressivos.

Como desconfiar se você tem câncer de pele?

Siga a regra do ABCD

  • Manchas de pele Assimétricas ou que estão mudando de formato.
  • Manchas com Bordas irregulares.
  • Manchas de pele com múltiplas Cores.
  • Manchas de pele que estão crescendo ou com Diâmetro maior que 6mm.

Manchas e carocinhos que coçam, que sangram e formam casquinha espontaneamente, sem história de trauma no local, também podem ser câncer de pele. De uma maneira geral, desconfie de feridas que não cicatrizam.

O próximo passo é procurar o dermatologista. No caso de suspeitas, deve ser realizada uma biopsia no local, de forma a identificar o tipo de câncer de pele e definir o tratamento.

Como evitar?

Tanto o paciente que se expõe ao sol continuamente ao longo dos anos como aquele que se expõe esporadicamente, mas que sofre queimaduras, possuem chances de desenvolver câncer de pele. Portanto, a medida mais importante é a proteção solar.

Atendimento especializado profissional