Remoção de tatuagem

 Remoção de tatuagem
Métodos antigos como a dermoabrasão (lixamento da pele), peelings (aplicação de ácidos na pele), e outros mais atuais, como a luz intensa pulsada e laser de CO2, foram utilizados por anos, com resultados nem sempre positivos.

Todos estes métodos não são seletivos para o pigmento de tinta, ou seja, destroem a tinta mas também danificam intensamente as células ao redor da tatuagem. O trauma é tão intenso que a pele não consegue cicatrizar corretamente, e a consequência é a formação de cicatrizes, como queloides por exemplo. Ninguém deseja trocar uma tatuagem por uma cicatriz inestética, certo?

E qual a melhor maneira de se remover tatuagens?

Sem dúvidas, o tratamento mais indicado para remoção de tatuagens utiliza lasers especiais para este fim. Os lasers para remover tatuagens são de duas categorias: Q-Switched e Picolasers.

Os lasers do tipo Q-Switched emitem uma energia de pulso muito rápido, que consegue destruir as partículas de tinta e poupar ao máximo a pele, o que garante uma chance menor de surgimento de cicatrizes após o tratamento. Os Picolasers apresentam disparos ainda mais rápidos facilitando muito o tratamento de algumas cores.

Porém, mesmo com todo o avanço dos últimos anos , ainda não existe ainda laser perfeito. Mesmo os mais modernos traumatizam levemente a pele durante a sessão.

E que ocorre depois?

Após a quebra das partículas de tinta, o sistema imunológico do paciente se encarrega de recolher os fragmentos quebrados. Estes são levados pela corrente linfática para o fígado, onde são processados e em seguida eliminados junto com os outros dejetos do nosso corpo.

A cada sessão, vão sendo destruídas mais e mais camadas de tinta. O tratamento é realizado até que as ultimas partículas do pigmento sejam destruídas.

Qual laser escolher?

Como dito acima, os melhores lasers para remoção de tatuagens são os do tipo Q-Switched e os Picolasers. Os Q-Switched são mais facilmente encontrados no país.

  • O laser Nd Yag Q-Switched remove as cores preta e azul escuro, além da cor vermelha e as cores derivadas do vermelho. Porém, não remove de modo eficaz as cores verde e azul claro.
  • O laser do tipo Rubi Q-Switched,o  laser do tipo Aexandrite Q-Switched e o Nd Yag, removem bem a cor preta, mas não removem a cor vermelha. Porém, estes lasers são os ideais para tratar as cores verde e azul em tons claros.

Quantas sessões são necessárias?

São necessárias algumas sessões para atingir o resultado ideal, e o número delas é variável, pois depende de uma série de fatores. A maioria das tatuagens saem com seis a dez sessões.

Fatores importantes

  • Idade da tatuagem: quanto mais antiga melhor. Mas há uma exceção: de 48 a 72 horas depois da tatuagem feita, as células do sistema imunológico ainda não envolveram os pigmentos de tinta. É como se a tinta ainda estivesse solta na pele. Nesse período uma única sessão costuma remover grande parte da tatuagem, mas não totalmente.
  • Cor: a cor preta é mais fácil de ser removida. Tatuagens coloridas muitas vezes necessitam de mais de dez sessões.
  • Localização: tatuagens localizadas em áreas de boa drenagem linfática são removidas com menos sessões.
  • Quantidade de tinta: tatuagens amadoras, falhadas, sombreadas, com traços finos, e em pontilhismo possuem pouca tinta. São removidas mais rapidamente do que tatuagens com muita tinta agrupada, como por exemplo quando a tatuagem é retocada ou quando a tatuagem está cobrindo outra.
  • Cor da pele do paciente: pacientes de pele clara toleram sessões de laser com energia (fluência) mais alta. Isso acelera o processo de remoção.
  • Presença de cicatrizes na pele: alguns pacientes formam um cicatriz hipertrófica (cicatrizes altas) sobre as tatuagens. Essa cicatriz impede parcialmente a penetração do laser, o que aumenta o número de sessões.
    Tatuagens cosméticas – que são aquelas usadas em sobrancelhas, lábios, cílios, aréolas – são um caso à parte.

A micropigmentação é uma técnica de tatuagem cosmética que vem sendo utilizada no lugar da tatuagem definitiva. Nessa técnica, o pigmento é colocado mais superficialmente e,  portanto, este tipo de tatuagem é removida rapidamente, com uma a três sessões.

Porém, quando o pigmento usado é avermelhado ou acastanhado, a tatuagem pode escurecer após a primeira sessão. Mas não se preocupe, pois ocorre clareamento nas sessões seguintes.

Após o término do tratamento, a tatuagem pode ser totalmente removida, restando pele de aspecto normal. Em outros casos pode restar uma leve mancha na pele, como uma marca de nascença ou um machucado antigo. Não se percebe que ali havia uma tatuagem, e também não se formam queloides. Este aspecto final pode ser atenuado com o uso de um segundo tipo de laser, o laser de co2. Ele estimula a formação de colágeno e, após algumas sessões, a mancha residual se torna mais parecida com a pele normal.

E ficam marcas após o tratamento?

Ao final do tratamento, quando a tinta é toda removida, podem ou não restar marcas discretas na pele, que lembram um machucado antigo ou uma marca de nascença. Não se formam queloides.

Além disso, outros tratamentos podem ser feitos no local para melhorar o aspecto residual.  O laser de Co2 e o microagulhamento, usados para rugas e cicatrizes de acne, por exemplo.

Portanto, com os avanços no processo de remoção de tatuagens alcançados nos últimos anos, a remoção de erros do passado ficou mais segura e com melhores resultados estéticos.

Atendimento especializado profissional